CUIDADOS ALIMENTARES E DE ATIVIDADES FÍSICAS COM AS CRIANÇAS DURANTE A PANDEMIA

Com as crianças em casa durante a pandemia de Covid-19, é preciso manter uma rotina de atividade física e um esforço para uma alimentação fortalecendo o sistema imunológico alertam a bióloga e técnica em Nutrição e Dietética Jane S. Fernandes e o professor de Educação Física na Unesp, José Angelo Barela.

Com as crianças em casa durante a pandemia de Covid-19, é preciso manter uma rotina de atividade física e um esforço para uma alimentação fortalecendo o sistema imunológico alertam a bióloga e técnica em Nutrição e Dietética Jane S. Fernandes e o professor de Educação Física na Unesp, José Angelo Barela.

As dicas a seguir são então de Jane Fernandes, que em 2016 foi coordenadora das oficinas profissionalizantes de Costura Criativa e Nutrição Orgânica no Projeto Maré Alta, em Ubatuba, financiado pelo Instituto Arcor Brasil como parte do Fundo Comunidade em Rede.

Além do isolamento social, que é de extrema importância, o cuidado com a alimentação é um fator importante e fundamental para fortalecer o sistema imunológico, sendo um conjunto de elementos no corpo humano para proteger o organismo contra a Covid-19.

➢ Recomenda-se de 1,5 a dois litros, no mínimo, por dia. Esses líquidos devem contemplar principalmente água natural, mas também podem ser obtidos através de chás, sucos, de preferência de bebidas não açucaradas. Porque essas bebidas açucaradas, a exemplo dos refrigerantes, contribuem para o ganho de peso e para a obesidade na infância.

➢ Uma alimentação saudável é fundamental - Ela deve ter um bom fracionamento, como, por exemplo, três refeições principais e dois a três pequenos lanches intermediários, para que não ocorra diminuição do metabolismo e para que a digestão seja adequada. Isso também evita que a criança procure por guloseimas e que exagere na próxima refeição.

➢ Opte por alimentos com vitaminas C ou ácido ascórbico, trabalha estimulando o sistema imune- A dieta infantil deve ser leve. O cardápio tem que conter acerola, limão, goiaba, cajú, kiwi, laranja, morango, mamão, espinafre, salsinha, brócolis etc..

➢ Zinco um mineral fundamental agindo contra vírus, bactérias e fungos. A ingestão de sementes insere o zinco no seu cardápio; abóbora, chia e girassol.

➢ Uma maneira de tornar o momento da refeição ainda mais atraente é convidar a criança para preparar a comida, desafiando e possibilitando com interação a convivência mais contínua entre os familiares, e a criança ficará motivada a comer o que preparou. Aproveite para incluir saladas bem coloridas e sucos (beterraba com limão é uma delícia)

➢ Fibras, muitas fibras - Quando falamos em alimentação saudável para crianças, estamos nos referindo a uma dieta rica em nutrientes como a fibra. Laranja, maçã, ameixa seca, feijão, lentilha, cenoura, massas e pães integrais são exemplos de alimentos com alto teor de fibra.

➢ E a proteína? - A proteína pode ficar por conta das carnes magras e brancas (frango e peixe) e dos queijos. Pão de queijo e massa de pizza com inhame e parmesão ou queijo minas são super fáceis de fazer e fogem do tradicional “prato feito” do dia a dia.

➢ Não deixe de atentar aspectos importantes para a convivência entre pais e filhos neste tempo de isolamento; insira a criança na organização da casa , delegando pequenas tarefas, de acordo com sua idade, e mostrando que ela tem a sua corresponsabilidade nesta nova rotina e cuide para que a facilidade do entretenimento audiovisual não faça com que os dias da criança sejam transcorridos diante das telas. E pensando nisso tudo, preparamos três sugestões para dias de quarentena

➢ Dia de dobradura. Pesquise no Google se tiver dificuldades, separe algumas folhas, faça as primeiras junto com a criança depois incentive a criatividade de cada um!

➢ Jogo das sílabas: prepare vários pedacinhos de papel com sílabas diferentes. A brincadeira é formar palavras com elas.

➢ Dia de acampamento! Ajude a criança a montar, com lençóis, barbantes a melhor barraca possível na sala de casa. Ela vai se divertir com um cenário diferente para as brincadeiras! E não se esqueça #FiqueEmCasa

A importância da atividade física – A importância da atividade física durante a quarentena é reiterada pelo professor do Departamento de Educação Física da Unesp, campus de Rio Claro, José Angelo Barela. Ele nota que a atividade física tem impacto positivo na saúde física e mental e no desenvolvimento cognitivo, sendo essencial então no período de confinamento para as crianças e também para os adultos.

“Mesmo com um espaço reduzido, é possível resgatar uma série de brincadeiras, colocando novamente em contato os adultos e as crianças, o que anteriormente era mais difícil de acontecer”, comenta o educador. Ele considera, portanto, que a pandemia, de grandes consequências negativas para as pessoas em termos da saúde, pode ter o efeito de reforçar os laços intergeracionais.

O professor Barela observa que “em um ambiente protegido, com os devidos cuidados com a higiene, pais estão voltando a ser criança ao brincar com os filhos, o que era impossível de se pensar até há pouco tempo”.

Ele salienta que “há brincadeiras simples que podem ser feitas em espaço reduzido, unindo e divertindo toda a família, ajudando a passar o tempo mas também impactando positivamente na saúde física, mental e no desenvolvimento cognitivo”.

Cita, por exemplo, a brincadeira dos saquinhos de feijão, também conhecida como jogo das cinco marias. “É uma brincadeira que une e diverte ao longo de todo o processo. As crianças podem por exemplo ajudar a confeccionar os saquinhos”, explica.

Nesta brincadeira, os cinco saquinhos são preenchidos com feijão (ou arroz, pedrinhas etc.). O jogador atira um saquinho para cima e tenta pegar outro do chão com a mesma mão, antes que o primeiro saquinho caia. Depois, atira os dois saquinhos para o alto e tenta pegar mais um do chão com a mesma mão e assim sucessivamente. Se cair um saquinho ou mais no chão antes de completar a tarefa, o jogador passa a vez para o outro.

O professor Barela salienta que “uma série de brincadeiras antigas, que vinham sendo esquecidas em função do tablet, do celular, do computador, pode ser recuperada” no período de confinamento. Bater palmas, passa anel, jogo das sombras e até amarelinha são algumas brincadeiras elencadas pelo educador.

Com um espaço um pouco maior, até a bola pode ser usada em brincadeiras adaptadas. Vôlei adaptado, jogar bola e o outro rebater com o pé ou a cabeça, são várias as situações que podem e devem ser estimuladas, para divertir e ajudar no desenvolvimento motor, físico e cognitivo das crianças, e também para o necessário momento lúdico dos adultos nos duros tempos da pandemia.

 “O mais importante é não deixar a atividade física de lado e, se possível, aliar essa atividade com o lazer, o lúdico, a brincadeira, em benefício das crianças e de todos”, completa o professor da Unesp de Rio Claro, no interior de São Paulo.